Recibos verdes ou abrir empresa: qual a melhor opção enquanto freelancer?

Esta é uma das maiores dúvidas de quem se lança enquanto freelancer, ou como trabalhador por conta própria, eu diria mesmo que é, muitas vezes, o maior entrave para que certos projectos saiam da gaveta e sejam implementados. Por isso, e como não quero mais que esta questão seja uma desculpa, partilho contigo este artigo que vai servir como guia para te ajudar a tomar algumas decisões!

 

Recibos verdes ou abrir empresa: qual a melhor opção enquanto freelancer?

Hoje vamos deixar de parte a questão de ser ou não uma opção lançares o teu próprio negócio, vamos assumir que essa decisão está tomada e que queres simplesmente perceber qual seria a melhor opção para ti.

 

Qual é a diferença entre um Trabalhador Independente (Recibos Verdes) e um Trabalhador em Nome Individual (ENI)?

Antes de mais, há uma questão que tenho que esclarecer e que levanta muitas dúvidas – Qual é a diferença entre um Trabalhador Independente (Recibos Verdes) e um Trabalhador em Nome Individual (ENI).

Então, se o teu trabalho tiver um carácter cientifico/intelectual/técnico, classificado na tabela do art. 151 do CIRS, ou seja, assim de uma forma muito simplificada, se venderes serviços, então poderás ser um trabalhador liberal ou independente. Se a tua actividade tiver um carácter comercial, ou tiveres um serviço que esteja abrangido por um CAE, geralmente e novamente de forma simplificada, se venderes produtos, então serás um ENI. 

Neste caso vamos considerar que o que vendes são serviços, porque, caso contrário, a escolha está feia e serás um ENI.

 

Recibos verdes ou empresa?

A primeira coisa em terás que pensar é em fazer um plano de negócios e definires, logo à partida, quanto estimas que vai ser a tua facturação. Este é um dos primeiros factores a considerar na tua escolha e não está relacionado com uma ou outra opção, mas sim com o tipo de contabilidade que escolhes. Isto porque, se facturares abaixo dos 12.500€ anuais poderás ter isenção de IVA. Contudo isto só acontece no regime de contabilidade simplificada.

A grande diferença é que se optares por contabilidade simplificada podes fazê-lo de forma individual e se optares por contabilidade organizada irás precisas de um contabilista certificado, algo que pode custar entre os 100€ e os 200€ mensais. Ainda assim, se esta é a tua única actividade profissional, seja qual for a tua opção, aconselho sempre a que, pelo menos uma vez por ano, procures um contabilista para te ajudar a perceber se estás a fazer tudo de forma correcta e analisar e rever a tua situação e qual será a melhor opção para ti, de acordo com a tua facturação.

A segunda questão que se coloca é se esta é a tua única actividade profissional. Ou seja, se este é apenas um extra e tens um contrato de trabalho com uma empresa (e esta actividade extra vai ter rendimentos abaixo do teu ordenado e até um determinado montante que vai variando, por isso confirma qual é neste momento) não terás que pagar Segurança Social, por isso, esta pode ser uma vantagem dos Recibos Verdes a aproveitar.

A terceira pergunta que te deves fazer é se terás ou não muitas despesas associadas à tua actividade, já que, se optares por Recibos Verdes e contabilidade simplificada, é muito difícil justificares as despesas associadas à tua actividade. E, neste caso (se existirem muitas despesas), abrir uma empresa poderia ser a melhor escolha.

A quarta análise que deves fazer, é se esta é a primeira vez que abres actividade com recibos verdes, já que durante o primeiro ano de Recibos Verdes podes ter isenções interessantes em termos de impostos.

Estas são as primeiras análises que deves fazer para encaminhar a tua decisão. Mas, eu sugiro sempre que, se esta vai ser a tua actividade principal, o faças de forma mais aprofundada e, nesse caso, sugiro aconselhamento personalizado.

 

Como abrir actividade, ou criar uma empresa?

Se chegaste até aqui, tenho a certeza que esta é a pergunta que queres ver respondida neste momento. ´Tomei a minha decisão, e agora, como faço?’

Se quiseres abrir actividade como trabalhador independente é muito simples e não tem qualquer custo associado. Tens apenas que aceder ao Portal da Finanças e seguir o caminho – Os seus Serviços/ Entregar/ Declarações Início de Actividade. Ou, claro, podes fazê-lo numa repartição de finanças, fisicamente. Se o fizeres online, irás posteriormente receber uma carta com a confirmação.

Se quiseres abrir a tua empresa o processo também está muito simplificado e é relativamente barato. Podes recorrer a uma repartição de finanças, ou a um dos sites Empresa na Hora, ou Empresa Online e segues todos os passos. Posteriormente registas a tua marca, algo que podes fazer presencialmente ou online (online é muito mais barato). E no total irás pagar (dependendo da tua escolha) cerca de 400€ por este processo

Em qualquer um dos casos, confirma sempre se ficou tudo reflectido de forma correcta na Segurança Social e, caso não tenha ficado, lembra-te que terás que fazer o teu registo para fazeres as tuas contribuições.

Sei que são muitíssimas as análises que tens que fazer e que te podes sentir perdida, por isso, quero dar-te uma resposta mais concreta. Na minha opinião, se te estás a lançar neste momento, tens um serviço para vender, não tens qualquer tipo de obrigação (como apoios do estado) que te obrigue a ter uma empresa e ainda estás a perceber se o teu negócio resulta, e por isso acreditas que irás facturar menos de 12.500€ no primeiro ano, sugiro que abras actividade através de recibos verdes. Contudo, no final do primeiro ano, deves procurar um contabilista e reavaliar a tua situação, percebendo se deves ou não mudar o formato.