Morar sozinha | A decisão

Ano nova, vida nova, rubrica nova! Yeah!!!
 
Desde que lancei o site que queria muito ter esta rubrica, mas, veio o Natal, a Passagem de Ano, outros posts que faziam sentido e este tema foi ficando para o ano novo (aliás, uma óptima altura para abordarmos o assunto). E quem me dera que me tivessem dado este guia quando sai de casa do meu pai, há 6 anos atrás. Mas não deram e eu ganhei uma enorme experiência para partilhar convosco, as minha já 4/5 mudanças de casa neste período.
 
Vamos começar pelo principio porque quero MESMO que este seja um guia passo-a-passo. Estaria a mentir se dissesse que sair de casa é fácil, mas também mentiria se dissesse que voltava atrás. É por isso que….começamos agora um GUIA INDISPENSÁVEL PARA MORAR SOZINHA.
 
Vamos falar sobre tudo. Como preparar a mudança, o que pesquisar, questões financeiras (claro e essencialmente!), tudo! E, se quiseres que aborde algum tema específico, que te vai ajudar, é só deixares nos comentários, enviares email, ou mensagem privada.
 
Quero muito ter o meu espaço, gerir os meu horários, comer o quero, às horas que quero! Quero muito sair à noite sempre que me apetece, trazer quem quiser para dormir comigo,  fazer jantares com amigos até às tantas, ouvir música alto! Quero poder deixar a roupa espalhada, tomar banho durante quanto tempo quiser, deixar a cama desmanchada, pôr a toalha molhada em cima de cama sem ouvir um berro logo a seguir!
Aiiii acabei de ter um déjà vu maravilhoso de quando fui viver sozinha pela primeira vez. E tu? Identificas-te com estas vontades?
Eu sei que há, desse lado, muitas meninas (talvez também rapazes) que querem sair de casa, ser independentes, mas, que não fazem ideia de como começar, do que precisam, de como fazer e, pior, do que os espera.
Sair de casa deve ser uma decisão muito pensada e tomada com convicção. É uma fase óptima, que pode dar alguns problemas se tomarmos opções erradas, mas que vai dar muito trabalho.
 
Eu lembro-me que tomei essa decisão, uns três anos antes de sair, e, durante esse tempo, tive numa preparação ansiosa que me fazia estar muito focada no meu objectivo (saudades!!!!).
Podemos sair por muitos motivos, porque queremos dar esse passo, porque vamos viver com alguém (namorado, amigos), porque não existe bom ambiente em casa, ou por qualquer outra razão. Mas, qualquer que seja o motivo, é indispensável que isso não te faça tomar atitudes precipitadas.
 
Faz-te ‘aquelas’ perguntas chatas
O que queres vs o que precisas – uma casa nova ou uma casa com mais idade, mobilada ou não, comprada ou alugada
Tens um fundo de emergência – tenho mas quero aumentar, não tenho vou ter que constituir, tenho e estou satisfeita
E se tudo correr mal – tens um plano alternativo, consegues suportar as tuas despesas, sabes com o que podes contar
 
Analisa e planeia a tua vida financeira
Esta parte é indispensável para esta decisão. Como vai fazer face às despesas? Como vais investir em electrodomésticos e móveis indispensáveis? Se ficares desempregada como vais dar a volta enquanto procuras uma nova oportunidade?
 
Quais as condições em que vais viver
Vais partilhar casa com a amigos? Vais alugar um quarto? Vai viver na tua cidade/vila, ou nos arredores? Que zonas te pode ser mais e menos favoráveis? O que precisas de ter perto de casa? Como te vais deslocar? Os transportes são essenciais, ou precisas de ter um lugar para estacionar?
Pensa bem no que queres, como queres e no que faz sentido para ti e começa a fazer listas: lista de bem essenciais para casa, lista de gastos, lista de quanto podes poupar e em quanto tempo, listas do que para ti é essencial, começa assim, aos poucos, mas começa a pôr no papel. Esta vai ser uma fase de grande introspecção e é essencial que estejas aberta a isso. Esta é uma fase em que tens que tomar decisões para poderes fazer um plano mas, por outro lado, não deves ser demasiado rigorosa, ou sonhadora, sob pena de não conseguires avançar.
 
Pensaste bem? Tomaste a tua decisão? Óptimo, tenho a certeza que vai começar um período inesquecível da tua vida.