Como mudam as despesas (e receitas) em 2020?

Sei que o ano já começou e algumas pessoas já se deram conta de algumas das alterações que vou mencionar neste artigo, ainda assim, muitas delas só se verificam ao longo do mês de Janeiro, ou quando chegarem as primeiras facturas e, por isso, vamos falar sobre elas, para que não sejas apanhada desprevenida.
 
Antes de começarmos quero dizer-te que este ano se prevê economicamente muito positivo, eu sei que não será para todos (aposto que pensaste ‘sim, sim, mas não para mim’), mas, a verdade é que as perspectivas são boas: aumento do ordenado mínimo acima da inflação (o que abrange muitaaas pessoas), aumento médio dos salários, aumento de 0,3% nos salários da função pública, aumento entre 0,2% e 0,7% nas reformas e consequente melhorias no poder de compra. Por outro lado, alguns preços aumentam, mas outros mantêm-se, o que faz com que a equação possa, para muitas famílias, ter um resultado positivo.
 
 

Quais são as principais alterações nas despesas em 2020?

 
Com o carro
Aumentam os preços dos combustíveis (cerca de 2,5 cêntimos), o que corresponde ao incremento da taxa sobre o carbono e ter carro é, cada vez, mais um luxo.
Para quem compra carro, a diesel, em alguns casos, o orçamento de estado prevê um aumento do imposto sobre veículos de 9% (algo que não vai acontecer logo no início do ano)
 
 
Em casa
Para quem mora em Lisboa o preço da água aumenta, em média, 18 cêntimos por mês.
A electricidade tem novamente uma descida, ainda que de apenas 0,4%, o que é uma óptima notícia
O preço do gás natural mantêm-se inalterado, pelo menos até Setembro de 2012
Em relação às telecomunicações a Meo e Nos prevêem uma alteração em alguns tarifários em cerca de 50 cêntimos, enquanto a Vodafone e a Nowo pretendem manter os preços actualmente praticados.
Os juros da casa vão manter-se baixos, o que faz com que o pagamento da mensalidade ao banco não aumente e, em alguns casos, possa até diminuir.
Por outro lado, comprar casa vai continuar a ser cada vez mais caro, apesar das previsões de estabilização dos preços dos imóveis.
As rendas vão aumentar em 0,51%, menos do que em 2019, onde se registou um aumento de 1,15%, o que significa 2,55€ numa renda mensal de 500€.
O IMI e IMT podem sofrer um agravamento mas, até ao momento, esta ainda é apenas uma proposta.
Na alimentação prevê-se um aumento sobretudo nas matérias primas, como o café, açúcar, cacau, cereais, entre outros. Mas também, na carne de porco devido ao problema da peste suína na China. As bebidas açucaradas sofrem também um agravamento no preço.
O tabaco vai também aumentar, essencialmente pelo agravamento do imposto, mas a proposta ainda está apenas em cima da mesa.
 
 
Na rua
As portagens nas autoestradas vão manter os preços em 2020, uma óptima noticia para quem tem que se deslocar diariamente passando por estes postos de pagamento.
O preços dos transportes vai aumentar apenas nos bilhetes pontuais, um aumento geral em trono dos 0,38%, os passes em de Lisboa e Porto vão manter os preços inalterados, mas os combinados entre Transtejo ou CP, com o Metro e Carris sobem 5 cêntimos. Também aumentam os passes que têm estacionamento associado, em cerca de 0,25%. Os tarifários associados ao zapping também podem aumentar ligeiramente, mas apenas numa razão de 1 ou 2 cêntimos.
As comissões bancárias voltam a subir na CGD e EuroBic, se és cliente de algum destes bancos está na hora de mudares para um banco sem custos.
E com a euribor a manter-se em queda, prevê-se também que os tradicionais juros de depósitos a prazo, sobre os quais muitas meninas me perguntam, se mantenham muito baixos, como já nos habituaram.
Começa a eliminação das taxas moderadoras na saúde, ainda que seja algo que vai acontecer por fases, ou seja, vai ser mais acessível ir ao médico.
Os plásticos do take-away começam a pagar um imposto, o que pode afectar os preços das comida delivery
As touradas passam a pagar IVA de 23% em vez dos actuais 6%. Por oposição os aquários, jardins e Jardins Zoológicos passam a pagar apenas 6% de IVA.
 
E estas são as principais mudanças nas despesas que terás em 2020, agora basta apenas que percebas quais as que te vão realmente afectar e quais aquelas que queres aproveitar. Eu vou, sem dúvida, aproveitar as descidas que mencionei no último ponto.